7.1) Atrativos Culturais e Religiosos

A seção a seguir irá apresentar os Museus, Instituições voltadas para a Cultura, Centros Históricos, Teatros, Cinemas, Centros de Tradições Gaúchas (CTG’s) e Associações Religiosas.

7.1.1) Museus

Em Santa Maria existem 15 museus que fazem parte do Sistema Municipal de Museus (SMM). Segundo o diretor do Museu de Artes de Santa Maria (MASM) existem no Brasil cerca de 5 SMM’s e 3 deles encontram-se no Rio Grande do Sul, estando um deles no município de Santa Maria.
O Quadro 7.1.1 a seguir apresenta a listagem de museus existentes no município, bem como informações sobre os respectivos acervos e sobre a administração de tais instituições.

Institução Acervo Natureza Administrativa
Acervo Histórico do I.E.E Olavo Bilac Documentos e objetos que contam a história da mais antiga escola de Santa Maria. Pública Estadual
Casa de Memória Edmundo Cardoso Biblioteca, Arquivo e Museu em organização Privada
Casa-Museu João Luiz Pozzobon Mobiliário e objetos pessoais de João Luiz Pozzobon. Privada
Memorial de Imigração e Cultura Japonesa do Rio Grande do Sul Documentos, objetos, fotos e entrevistas referentes à imigração japonesa no RS. Público Federal
Memorial da Medianeira Livros, objetos sacros, paramentos litúrgicos, documentos da Catedral da Medianeira. Privada
Memorial do Maneco Fotografias, mobiliários, equipamentos, publicações, documentos do Colégio Manoel Ribas. Público Estadual
Museu de Arte de Santa Maria (MASM) Obras de Arte, esculturas, gravuras, desenhos de artistas de renome nacional e internacional. Público Municipal
Museu Educativo Gama D’Eça Museu voltado para a educação nas seguintes áreas: artes, ciências e história. Pública Federal
Museu Ferroviário de Santa Maria Miniaturas, fotos, documentos (livros, projetos, peças e vídeos) da Estação Ferroviária de Santa Maria Privada
Museu Histórico e Cultural das Irmãs Franciscanas Objetos sacros e de usos e costumes das Irmãs Franciscanas, peças litúrgicas, indumentárias, instrumentos musicais, mobiliário, acervo iconográfico e equipamentos de trabalho da área de educação e saúde. Privada
Museu Interativo de Astronomia Meteoritos, telescópios, Lunetas e Dispositivos Mecatrônicos que descrevem a história da Astronomia. Pública Federal
Museu Mallet Memorial, constituído de Museu Histórico, Mausoléu, Carro Histórico “Duque de Caxias” e Museu a Céu Aberto apresentam, de forma elucidativa e cronológica, a história do Regimento Mallet e da Artilharia, através de fotos, objetos, materiais, armamentos, retratando a história brasileira a partir da Revolução Farroupilha, ocorrida em 1835. Público Federal
Museu Sacro de Santa Maria Objetos sacros, objetos litúrgicos, indumentárias, estandartes, mobiliários, instrumentos de trabalho, quadros, imagens religiosas, obras de arte, escudos de associações religiosas e fotografias da Paróquia Catedral – Mitra Diocesana, Privada
Museu Treze de Maio História e memória da Sociedade Cultural Ferroviária 13 de Maio; territorialidade e identidade do povo negro de Santa Maria, através da reconstrução histórica e memorial do Bairro Nossa Senhora do Rosário; objetos relacionados à cultura africana e afro-brasileira; artefatos da cultura material ou imaterial que valorizam o fazer, o crer e a memória do povo negro; objetos relacionados a história do negro e a ferrovia no Estado do RS. Privada
Museu Vicente Palloti Mineralogia, paleontologia, arqueologia, zoologia, material bélico e objetos sacros. Privada
Fonte: Sistema Municipal de Museus de Santa Maria
Quadro 7.1.1 – Museus em Santa Maria

7.1.2) Instituições voltadas para a Cultura

No município de Santa Maria encontram-se 32 instituições voltadas para a cultura, de diversas áreas como educação, artes (plásticas e cênicas), dança, folclore, história, música e etc..
O Quadro 7.1.2 a seguir contém as instituições voltadas para a cultura e as áreas que elas atendem.

Instituições voltadas para Artes Cênicas Cia Sorriso com Arte
Instituições voltadas para Artes Plásticas Associação dos Artistas Plásticos de Santa Maria
Escola Municipal de Artes Eduardo Trevisan
Grupo Art Pública
Instituições voltadas para a Dança Associação Ballet da Cidade
Associação de Dança de Santa Maria – ADASM
Cia de Dança Euwa Dandaras
Instituições voltadas para a Educação Academia Santamariense de Letras
Associação dos Amigos da Biblioteca
Casa do Poeta
Editora da Universidade
Instituições voltadas para o Folclore Associação de Cultura Francesa
Grupo Folclore Germânico Immer Lustig
Movimento Tradicionalista Gaúcho
MTG/13º Região Tradicionalista
Instituições voltadas para a História Associação Amigos do Arquivo Histórico
Casa de Memória Edmundo Cardoso
COMPHIC Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural
Museu Treze de Maio
Sistema Municipal de Museus
Instituições voltadas para a Música Associação Amigos da Orquestra Sinfônica
CUICA – Cultura, Inclusão, Cidadania e Artes
Outras Instituições Culturais Associação Amigos do Theatro Treze de Maio
Associação dos Amigos da Casa de Cultura
Associação de produtores independentes Macondo Coletivo
Conselho Municipal de Cultura
Fórum das Entidades Culturais
Núcleo dos Produtores Visuais SM
OCA – Organização cultural e ambientalista Brasil e América do Sul
Theatro Treze de Maio
TV OVO/Coordenação geral – Oficina de Vídeo Oeste
Santa Maria Vídeo e Cinema
Quadro 7.1.2 – Instituições Culturais em Santa Maria, 2011

7.1.3) Centros Históricos

O município de Santa Maria possui um centro histórico que está localizado na Brigada Militar de Santa Maria, o Centro Histórico Coronel Pillar.
Esta instituição cultural militar de natureza pública possui um acervo de uniformes, insígnias, distintivos, armaria, peças da cavalaria, bandeiras, flâmulas, coleção de troféus, mobiliário, instrumentos musicais, equipamentos de trabalho, heráldica, fotografias, bibliografia militar e sul-rio-grandense, documentos arquivísticos do 1° Regimento de Polícia Montada “Rgt. Cel. Pillar”, a partir do ano de 1892.

7.1.4) Teatros

Em Santa Maria, o principal teatro é o Theatro Treze de Maio. Fundado em 13 de Maio de 1913 o teatro foi restaurado, remodelado e ampliado em 1992, por iniciativa da Prefeitura Municipal de Santa Maria. A intenção era dotá-lo de recursos técnicos que permitissem o retorno da cidade ao circuito nacional e internacional de espetáculos culturais. Em 1993 a Associação dos Amigos do Theatro Treze de Maio – AATTM foi fundada, tendo como primeiro presidente José Antônio Goi.
A partir de 1995, com a eleição de uma nova Diretoria, presidida por Ailo Saccol, esta Associação teve incentivo de inúmeros agentes sociais: órgãos públicos, empresários, veículos de comunicação social, intelectuais e pessoas interessadas no reerguimento das alternativas culturais na cidade. Era deflagrada a Campanha “Seja Sócio da História”, com o objetivo de angariar os recursos necessários para a concretização da obra e de seus acabamentos essenciais. A assinatura do projeto de reconstrução de interiores foi do engenheiro Ismael Acunha Solé. A logomarca do Theatro é criação da agência Latino América Comunicação, e da Associação dos Amigos é criação da agência Companhia de Propaganda, ambas de Santa Maria.
Todo este panorama já proporcionou alguns reconhecimentos públicos ao trabalho desenvolvido, como Destaque Teatral 1998, conferido pela Prefeitura Municipal de Santa Maria; Prêmio Líderes e Vencedores 1998 conferido pela Federasul e Assembléia Legislativa do RS e Destaque Cultural 1999 pela Prefeitura Municipal de Santa Maria. Conquistas que são lideradas por uma Diretoria voluntária e por funcionários contratados, mas estendidas a todos os seus colaboradores.
Outro teatro existente no município é o Teatro Universitário Independente, criado em 1961, com o nome de Teatro Universitário de Santa Maria (TUSM). Sua origem foi o teatro universitário da Universidade Federal de Santa Maria, tendo como proposta inicial desenvolver a arte teatral no meio estudantil. O TUSM traçou como objetivos principais levar teatro ao povo, formar seus atores e desenvolver laboratórios de experimentação teatral. Em 1968 surgiu então o “TUI” – Teatro Universitário Independente -, tendo como fundador Clênio Faccin, mantendo em seus projetos a mesma filosofia de sua origem.
Por fim, O Teatro Caixa Preta – Espaço Rozane Cardoso é um espaço multiuso único na região. Seu interior não possui uma estrutura fixa, sendo totalmente modulável, proporcionando assim maior versatilidade nas configurações de palco e plateia, atendendo às necessidades das concepções artístico-culturais, que se caracterizam pela utilização de estruturas espaciais diferenciadas.
O Caixa Preta foi fundado em cinco de abril de 1988 e localiza-se na Universidade Federal de Santa Maria – cidade universitária – anexo ao Centro de Artes e Letras, no prédio 40. A responsabilidade do espaço é de uma equipe formada por alunos e professores do Curso de Artes Cênicas da UFSM.
Como seu espaço interno possui uma estrutura versátil, o Teatro consegue ser o palco de diferentes eventos, tais como palestras acadêmicas, shows, espetáculos e exposições.
Além disso, o município ainda conta com salões de eventos de clubes, hotéis e colégios que comportam eventos e apresentações. São eles: Colégio Marista Santa Maria, Hotel Itaimbé, Hotel Morotin e os clubes Caixeral, Comercial e Recreativo Dores.

7.1.5) Cinemas

No município de Santa Maria, existem 3 cinemas. São eles o Arcoplex Cinemas, o MovieArte Cinemas e o Cineclube Lanterninha Aurélio.
O Arcoplex Cinemas está situado no Royal Plaza Shopping e tem caráter comercial, tendo sua estrutura constituída por 4 salas. A Arcoíris Cinemas atua no ramo cinematográfico a mais de 40 anos. Além disso, foi a primeira rede de cinema em Santa Maria a disponibilizar a opção cinema em 3D (3 Dimensões).
Já o MovieArte Cinemas encontra-se no 4° andar do Santa Maria Shopping, tendo 2 salas de exibição. O cinema tem também caráter comercial e exibe diariamente filmes para diversas as idades e gostos.
Por fim, o Cineclube Lanterninha Aurélio, localizado na Cooperativa de Estudantes de Santa Maria (Cesma). Um cineclube é uma associação sem fins lucrativos que estimula os seus membros a ver, discutir e refletir sobre o cinema. O Lanterninha disponibiliza uma programação voltada para cultura, tendo sessões toda segunda-feira, mudando a sua temática a cada mês através dos Ciclos de Cinema.
A Tabela 7.1.1 a seguir apresenta o número de salas (normais e 3D) e os valores médios de cada Cinema.

Tabela 7.1.1 – Número de salas (normais e 3D) e valores dos Cinemas – Outubro 2012
  Salas Salas 3D Valores Meia-Entrada
ArcoPlex Cinemas (Royal Plaza) 4 1 Seg, Ter, Qui – R$14,00; Seg, Ter, Qui – R$7,00;
Quarta-feira – Preço Único (R$6,50) -
Sex, Sab, Dom e Feriados – R$17,00 Sex, Sab, Dom e Feriados – R$8,50
MovieArte Cinemas (Santa Maria Shopping) 2 Não Seg, Ter, Qui, Sex, Sab e Dom e Feriados – R$10,00 Seg, Ter, Qui, Sex, Sab e Dom e Feriados – R$5,00
Quarta-feira – Preço Único (R$5,00) -
Sala Cesma 1 Não Gratuito -

7.1.6) Centros de Tradições Gaúchas

O município de Santa Maria possui 15 CTG’s filiados a 13ª Região Tradicionalista do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), além de duas Associações Tradicionalistas (AT), dois centros de danças tradicionalistas gaúchas (DTG), um departamento tradicionalista (DCT), um centro de tradições farroupilhas (CTF) e um centro de Pesquisa e Folclore (CPF). O Quadro 7.1.3 apresenta as informações citadas anteriormente, bem como os nomes das respectivas instituições.

Instituições Tradicionalistas em Santa Maria
AT Estância do Minuano CTG Sepé Tiarajú
AT Poncho Branco CTG Sinuelo dos Pampas
CTG Bento Gonçalves CTG Tropeiros da Querência
CTG Estância Minuano CTG Tropilha Crioula
CTG Farroupilhas CTG Vinte de Setembro
CTG Galpão Alegre CTG Vitório Mário
CTG Herança Farroupilha CPF Piá do Sul
CTG Passo dos Ferreiros DTG Timbaúva
CTG Ponche Verde DTG Querência das Dores
CTG Querência do Pinhal DCT Cezimbra Jacques
CTG Sentinela Da Querência -
Quadro 7.1.3 – CTG’s, DTG’s, DCT, CTF e CPF – 13ª Região do MTG.

7.1.7) Associações Religiosas

A seguir serão apresentadas informações sobre as associações religiosas presentes no município, como: história, características, número de locais de pregação etc.
Segundo a Secretaria de Turismo do Município, estão presentes em Santa Maria 12 associações religiosas, sendo elas: Anglicana, Batista, Católica, Espírita, Evangélica, Judaica, Luterana, Messiânica, Metodista, Mórmon, Presbiteriana e Umbanda.

a) Anglicana
A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil realizou o seu primeiro culto em Santa Maria, RS, no dia 11 de fevereiro de 1900, às 10h, numa capela alugada na Rua do Comércio (Dr. Bozano), nº 34, com a presença de mais de 300 pessoas, e o trabalho pastoral do Rev. James Watson Morris (1857-1954). Era a Capela do Mediador. Logo começou a funcionar uma escola dominical, uma associação de mulheres, um jornal com o nome Estrela do Oriente, uma biblioteca, um coral… Os primeiros membros pertenciam às famílias Rolim, Pinto, Gomes, Casagrande, Appel, Silva, Niederauer, Valle Machado, Burher e Mello.
Em 1903, chegou o Rev. Carl Henry Clement Sergel (1873-1963) que logo começou a articular o sonho da congregação, a construção de um templo próprio. Em 1904 foi comprado um terreno na Rua do Progresso (Av. Rio Branco), por cinco contos de réis. Em outubro de 1905 é lançada a pedra fundamental do novo templo, que foi inaugurado em 11 de novembro de 1906, com a presença do bispo D. Lucien Kinsolving e pregação do Rev. Américo Vespúcio Cabral(1870-1937).
Em março de 1950, com a divisão do Brasil em Dioceses, coube à Santa Maria ser a Sé da Diocese Sul-Ocidental, e esta igreja passou a denominar-se Catedral do Mediador. Hoje ela é um espaço aberto a todos que desejarem momentos de devoção e meditação.

b) Batista
A primeira Igreja Batista de Santa Maria foi fundada em 10 de fevereiro de 1950, ligada à Convenção Batista Brasileira e Convenção Batista do Rio Grande do Sul. Transmitem sua mensagem baseada na Bíblia Sagrada, sendo ela sua única regra de fé e prática. Acreditam em seus membros como seu maior patrimônio e tem como slogan “Uma Igreja Feliz”. No município de Santa Maria há outros pontos de pregação da Igreja Batista, sendo eles: Segunda Igreja Batista de Santa Maria, Igreja Batista em Camobi, 4º Igreja Batista em Santa Maria e Congregação do Bairro Itararé.

c) Católica

A área onde hoje está a cidade de Santa Maria fizera parte de um sesmaria do Tenente Jerônimo de Almeida, que a cedeu ao Pe. Ambrósio José de Freitas. Foi dentro dessa propriedade que a comissão de Demarcação do Limites lançou o acampamento, em 1797. Junto a esse “Acampamento” foi erguido o Oratório de Santa Maria, onde Pe. Eusébio de Magalhães Rangel e Silva, antigo Vigário de Taquari, celebrava missa e atendia o povo. Em 1801 a Comissão de Demarcação levantou o acampamento e levou consigo o Oratório. Pe. Eusébio. Entretanto, muitas famílias indígenas do território das missões vieram se estabelecer no povoado, todas elas cristãs. Essas famílias pediram ao Pároco de Cachoeira (hoje Cachoeira do Sul), Pe. Inácio Francisco Xavier dos Santos, que prestasse assistência religiosa à localidade.
Pe. Inácio atendeu aos pedidos e, de quando em quando mandava um de seus coadjutores. Foi então erguido um oratório que se transformou em capela, da Paróquia de Cachoeira. Entre os padres que lhe prestaram assistência, encontra-se o Pe. Feliciano José Rodrigues Prates, que viria a ser o primeiro Bispo da Província.
Em 1812 a Capela do Acampamento de Santa Maria passou a Curato. A 17 de novembro de 1837, por Lei Provincial, em plena Revolução Farroupilha, foi elevada à categoria de Paróquia, com o título Nossa Senhora da Conceição. Em 12 de abril de 2011 a Diocese de Santa Maria tornou-se oficialmente uma arquidiocese. A Arquidiocese de Santa Maria deve compreender as dioceses de Uruguaiana, Cachoeira do Sul, Santo Ângelo, Cruz Alta e Santa Cruz do Sul. Todas essas dioceses são próximas geograficamente e realizam ações pastorais conjuntas por meio do Interdiocesano Centro-Oeste. Nessa entidade, as seis dioceses reúnem-se sistemática e itinerantemente. Com o advento da Arquidiocese de Santa Maria, a comunidade católica local passa a responder diretamente ao Vaticano e não mais a Porto Alegre. Assim, o status administrativo, jurídico e religioso é ampliado. Santa Maria passaria, assim, a ser uma unidade máxima dentro do Brasil. Uma arquidiocese pode ordenar bispos das paróquias a ela subordinadas. Além disso, pode ter um tribunal eclesiástico, que tem o poder de julgar denúncias, como a revelação de segredos de confissão.
Além da Catedral, o município possui outros pontos de pregação que merecem destaque como: Paróquia Nossa Senhora da Medianeira onde no dia 22 de maio de 1948, Dom Antônio Reis declarou o Santuário da Medianeira “Território Isento”, designando Pe. Gaspar Demmler seu primeiro Administrador. No dia 16 de fevereiro de 1956, o Santuário passa a ser Curato, com Pe. Léo Kolberg na sua frente. A 30 de novembro de 1971, Dom Érico Ferrari criou a Paróquia nomeando Pe. Afonso Koerbes seu primeiro Pároco. Em 1985 houve a Inauguração oficial do santuário, por D. Carlos Furno. Núncio apostólico do Brasil, com a presença de bispos gaúchos. Em 1987, passou a chamar-se santuário – Basílica da medianeira, por decreto especial da sagrada congregação do culto divino. É único do estado e ater distinção pontifícia;
Santuário Nossa Senhora de Schoenstatt que nesse ano de 2012 possui 64 anos de existência. O local é o terceiro do mundo e o primeiro do Brasil a ser erguido pelas integrantes da juventude feminina de Schoenstatt para ajudar as missionárias de Nossa Senhora, que tinham em Santa Maria a sua casa central no país. O movimento tem hoje mais de 1,5 mil pessoas diretamente envolvidas com ele só em Santa Maria. No Brasil, são mais de 1 milhão. O Santuário é agregado à Paróquia Nossa Senhora das Dores que em antiguidade, é a terceira Paróquia da cidade de Santa Maria, criada por Dom Antônio Reis no dia 28 de fevereiro de 1937, visando atender rápido crescimento do bairro leste da cidade. Antes da criação da Paróquia, no dia 21 de abril de 1935, foi benta e colocada a pedra fundamental da atual igreja. A construção, em tempo recorde, foi concluída e inaugurada no mês de setembro de 1936. No ano de 1985, a comunidade, juntamente com o Jubileu da Diocese e o centenário da chegada dos primeiros padres palotinos do Brasil, comemorou o 50º ano de lançamento da pedra fundamental de sua Igreja Paroquial. A Igreja Católica possui, em Santa Maria, outros pontos de pregação, como as Paróquias de Nossa Senhora Senhora de Fátima, Nossa Senhora da Glória – Camobi, Nosso Senhor do Bom Fim, Nossa Senhora do Rosário, da Ressurreição, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, São José do Patrocínio e Santa Catarina. Além de duas capelas: a Capela Militar do Exército e do Hospital de Caridade.

d) Espírita
Em Santa Maria no dia 24 de junho de 1921 foi fundada a Aliança espírita Santa-Mariense – Casa Máter do Espiritismo em Santa Maria, por um grupo de sociedades espíritas que já existiam, em nosso município, pois a Codificação ainda era nascente e precisava de uma entidade composta por essas mesmas sociedades, a exemplo do “feixe de varas”, que as representassem e defendessem-nas judicial e extrajudicialmente se fosse o caso. Antes da fundação da casa máter, já havia algumas sociedades divulgando o espiritismo em Santa Maria e algumas que foram criadas após a Aliança. Hoje em dia há mais de 40 centros espíritas no município, sendo um dos mais conhecidos a sociedade espírita Lar da Joaquina, fundada no ano de 1927, e também o abrigo espírita Oscar José Pithan, fundado no ano de 1949.

e) Evangélica
O missionário sueco Gustav Nordlund chegou ao Brasil em 1923, acompanhado de sua esposa Elisabeth e seu filho Herbert. Começou o trabalho de evangelização em Porto Alegre, no ano de 1924. Pouco tempo depois, começou a levar as Boas Novas aos municípios do interior do Estado. No ano de 1927 chega à estação de passageiros em Arroio do Só no município de Santa Maria para pregar a Palavra de Deus, data esta que assinala a realização do primeiro culto no interior do Estado do Rio Grande do Sul. Iniciava-se naquela ocasião a obra de Deus no município de Santa Maria.
Em 1928 assume como responsável pelo trabalho o pastor Leonardo Gonçalves. Em 21 de fevereiro de 1932, com a mudança de alguns crentes da localidade de Arroio do Só para a sede do município de Santa Maria a e com a transferência do pastor Leonardo Gonçalves para outra frente de trabalho, o Missionário Gustav Nordlund instala como responsável o pastor Paulo Cruz, oriundo de Porto Alegre, que permaneceu à frente do trabalho até 1940. Sua dedicação ao evangelismo teve como resultado a conversão de muitos irmãos que se agregaram à nova igreja.
O Pastor Luiz Vicente Neves aceitou a Jesus em 1933, na Igreja Batista, mudando-se posteriormente para a Assembléia de Deus, onde permaneceu até a sua morte, em 06 de setembro de 1984. A rápida passagem do Pr. Luiz Vicente Neves como um dos obreiros responsáveis pela Assembléia de Deus de Santa Maria foi marcada pelo êxito do seu trabalho e da sua dedicação. De 1942 a 1943, a igreja viveu um período de grande progresso espiritual. No dia 07 de novembro de 1943, foi substituído pelo pastor Orvalino Lemos.
O Pr. Orvalino Lemos presidia a igreja de Passo Fundo, quando foi designado, em 07 de novembro de 1943, para assumir a arquidiocese (AD) de Santa Maria. Um marco inesquecível, deixado pelo Pr. Orvalino Lemos, foram os constantes estudos bíblicos ministrados na AD de Santa Maria. Foi durante sua administração que a Igreja em Santa Maria recebeu a autonomia jurídico-administrativa no ano de 1955, pelas mãos do Missionário Nils Taranger, pois até então Santa Maria era congregação de Porto Alegre. Em 07 de novembro de 1980, o Pr. Orvalino Lemos, foi substituído pelo Pr. Avelino Maicá da Silveira, oriundo da cidade de Porto Alegre.
O Pr. Maicá foi um verdadeiro pacificador e um eminente ensinador da Palavra de Deus. Durante os anos em que permaneceu à frente da igreja em Santa Maria construiu templos e abriu novos pontos de pregação. Foi durante o seu ministério que o evangelho foi pregado na cidade de Nova Palma e nas áreas adjacentes. Antes de encerrar a sua gestão, iniciou as obras de remodelação do templo central.
Em 21 de dezembro de 1989, por decisão convencional, foi empossado como Pastor Presidente o pastor Elói Rocha de Andrade quando da transferência do Pr. Avelino Maicá da Silveira para a igreja de São Leopoldo. Em sua gestão, foram construídas e inauguradas mais de 50 obras, incluindo templos e casas pastorais. Foi durante o seu ministério que as obras de remodelação do templo central foram concluídas.
O Pastor João Oliveira de Souza nasceu na cidade de Porto Alegre e desde sua infância seus pais o conduziram nos caminhos do Senhor. Com dinamismo e dedicação, Pr. João exerceu várias funções na AD em Porto Alegre até que foi enviado como presidente a Igreja em Viamão. Dois anos mais tarde, assumiu a AD em Passo Fundo, realizando grandes projetos naquela cidade. Em 25 de maio de 2008, assumiu a presidência da igreja na cidade de Santa Maria substituindo o Pr. Elói Rocha de Andrade falecido na data de 15 de maio de 2008.
Atividades diferenciadas na área feminina foram implantadas, além da valorização da Escola Bíblica Dominical como carro-chefe das atividades voltadas a crianças, adolescentes, juvenis, jovens, casais, terceira idade, discipulado e louvor, através dos grupos e corais e da escola de música.

f) Judaica
No fim do século XIX, na então chamada Rússia Branca (atual Moldavia) a população judaica era constantemente perseguida e massacrada por intolerantes, então, começaram a surgir entidades que tinham por objetivo levar essa população para países neutros onde não houvesse tais perseguições. Uma delas era a Jewysh Colonization Association (JCA), fundada por Mauric Derich. Outro personagem importante deste cenário foi France Philippson, diretor da ferrovia que unia Santa Maria a Santa Cruz do Sul, sendo um dos fundadores da Vila Belga que tinha por objetivo abrigar as pessoas que seriam responsáveis pela construção da linha.
Em 1904 ocorreu a imigração judaica para Santa Maria, então, France Philippson, contatou o atual intendente para que os imigrantes povoassem o Pinhal (atual Itaara) como agricultores, formando a primeira Colônia Judaica. Não conseguindo pagar as suas dívidas devido às más condições do terreno e pelo fato do povo judeu ter enfoque em outros ofícios que não a agricultura, após dezoito anos começaram a vender gradativamente as suas terras e a deslocar-se para o centro do município e fundaram, em 1919, a Sociedade Israelita, construindo o seu templo em 1930 para a realização de cerimônias, bem como para promover o convívio entre a comunidade judaica. Nesta época, também foi criado o cemitério, situado no Passo do Weber.
Alguns anos depois, começou um novo movimento migratório que levou boa parte dessa população para grandes centros, diminuindo a presença da comunidade judaica em Santa Maria e levando a certa decadência da estrutura da Sociedade Israelita. Há 23 anos, o senhor Jairo Amiel assumiu a presidência e encontra-se no cargo desde então, tendo sido responsável pela reforma do cemitério e da sinagoga, com direito a uma grande inauguração que contou com diversos nomes ilustres da época. Além disso, voltou-se a realizar atividades culturais e tradições.
Atualmente existe apenas uma sinagoga no município, situada na Rua Otavio Binato n° 49, e que conta com textos sagrados escritos em três idiomas (hebraico, translitar e português). A sinagoga é dividida em duas alas, masculina e feminina, devido à colonização de caráter tradicional.
Algumas festividades importantes celebradas pela associação são Yom Kipur (Dia do Perdão, ano novo judeu), a Pessach (Passagem para a Libertação, em homenagem à libertação da escuridão egípcia) e a Sucat (festa de celebração da agricultura).

g) Luterana
A partir de 1829, muitas famílias de alemães e descendentes (a maioria de religião evangélica luterana) começaram a migrar para Santa Maria. Em meados do século 19 os alemães luteranos movimentaram-se, então, para se organizar em comunidade. Em 1866 foi fundada a Deutsche Evangelische Gemeide, Comunidade Evangélica Alemã. No ano seguinte, a Cãmara de Vereadores doou à Comunidade o terreno o qual foi construída, em 1873, a Casa de Oração, inicialmente sem a forma exterior de templo, pois só a partir da proclamação da República em 1888 as religiões não-católicas puderam ter liberdade para edificar em caráter arquitetônico de templo. Hoje, em Santa Maria, há três pontos de pregração (Camobi, Itaara e Parque Pinheiro Machado) da Igreja Luterana.

h) Messiânica
No Brasil, a Igreja Messiânica Mundial começou sua difusão com a vinda dos primeiros missionários em novembro de 1954 e agosto de 1955, sendo esta última data considerada o ano oficial de sua instalação com a formação do primeiro membro messiânico em terras brasileiras. Somente há vinte anos que A Igreja se expandiu para o município de Santa Maria, e hoje conta com uma sede central e um núcleo de atendimento em Camobi, que contam em média com um público diário de 50 pessoas.

i) Metodista
A Igreja Metodista chegou em Santa Maria no dia 10 de novembro de 1901 junto com os Reverendos John W. Price e Matheus Donati. No ínicio da obra metodista no município a palavra era pregada na sala da Intendência Municipal, cedida pelo coronel Valle Machado. Nos anos de 1916 a 1918, durante o pastorado do Reverendo Claude Smith, a congregação mudou-se para uma nova sede, uma chácara no final da Rua do Acampamento, propriedade adquirida em 1922 onde passou a funcionar o Colégio Centenário, que está até os dias de hoje. Em 1921 é construído um novo templo da Igreja, na esquina da Rua do Acampamento com a Rua Tuiuti e logo ao lado a casa pastoral. Durante os anos que seguem, a obra metodista expandiu-se em Santa Maria, e hoja há 3 igrejas e uma capela que atendem em torno de 400 membros.

j) Mórmon
A Igreja Mórmon teve sua instalação em Santa Maria, no dia 1º de janeiro de 1940 e atualmente conta com mais de 5.500 fiéis em Santa Maria além de seis capelas construídas e uma em construção.
A Igreja possui o maior acervo genealógico do mundo, cerca de 15 milhões de membros no mundo e é considerada a igreja que mais cresce no mundo.
Segundo os dogmas da Igreja, acredita-se que as famílias podem ser eternas e para isso realizam-se Selamentos (matrimônio eterno) e as mesmas ordenanças para os familiares falecidos, pois todos, sem exceção, precisam dessas ordenanças e, nos templos, membros dignos servem de procuradores para esses falecidos. Uma curiosidade é que a Igreja tem apenas o apelido de Mórmon, que foi um profeta antigo das américas que guardou o livro, mas seu nome mesmo é “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

k) Presbiteriana

A Igreja Presbiteriana em Santa Maria – É também fruto da Junta de Missões Nacionais da IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil), e iniciou o seu trabalho missionário em Santa Maria com o envio do pastor Rev. Ismael Gonçalves Cunha, que juntamente com sua esposa, Maria Aparecida Cunha, e seus filhos, chegou a Santa Maria, no dia 24 de janeiro de 1993. Ele, porém, já realizava incursões na cidade, desde o ano 1988, pregando o evangelho em algumas residências. Logo, se estabeleceu uma comunidade presbiteriana, que se reunia em uma casa situada à Rua Dauth, na Vila Oliveira. No dia 29 de agosto do mesmo ano, foram admitidos as primeiras pessoas ao rol de membros, a saber, quatro adultos e quatro menores. No final de 1993, foi adquirido o terreno onde, hoje, localiza-se a casa pastoral e o templo da IPB em Santa Maria, o qual teve a sua inauguração, no dia 04 de abril de 1997. Atualmente, a Igreja Presbiteriana em Santa Maria possui um templo e uma casa pastoral no Bairro Nossa Senhora de Lourdes e tem em seu rol: 37 membros comungantes (adultos e jovens) e 11 membros não comungantes (menores filhos de crentes).

l) Umbanda

Há 31 anos em Santa Maria, não havia um órgão que reunisse todos os centros espirituais umbandistas e de cultos afro-brasileiros. Com a criação da Liga Espiritual de Umbanda e Cultos Afro-Brasileiros todos esses centros espirituais foram registrados e também foi criada a semana da Umbanda e Cultos Afro-Brasileiros sendo Santa Maria a primeira cidade do estado do Rio grande do Sul a prestigiar esses centros espirituais. De acordo com o presidente da Liga, hoje existem mais de 700 terreiros (sendo 100 não registrados) que atendem em média 20.000 frequentadores de todo o município.